O acadêmico é também um editor de periódicos

Denis Rodrigues

denis-1

Página inicial do Portal de Periódicos Eletrônicos Científicos da UNICAMP

Acredito que a revolução digital é uma das maiores transformações da história humana. Ao contrário de outras revoluções de grande impacto, ela não influi mais fortemente em um grupo ou região específica, não tem implicações apenas econômicas ou políticas, mas possui um caráter global e, além de sua presença massiva e atualmente indispensável em qualquer ramificação governamental, também gera mudanças culturais nos costumes mais cotidianos. Deixando de lado os excluídos digitais neste momento, a influência das novas tecnologias no século XXI é quase onipresente.

Na pesquisa acadêmica não é diferente: a internet oferece novas formas de pesquisa, produção e divulgação do conhecimento científico. Tradicionalmente a pesquisa já é uma atividade bastante autônoma e a rede oferece ferramentas que contribuem para uma virtualização ainda maior desta área de trabalho. Conforme o já clássico texto de Pierre Lévy, “O que é o virtual?”, as novas tecnologias problematizam as coordenadas espaço-temporais. Essas ferramentas geram novas questões, ao mesmo tempo em que facilitam muito o fazer da ciência: acadêmicos podem divulgar suas pesquisas e consultar a de seus pares muito mais rapidamente, podem acessar arquivos, documentos, fontes digitalizadas sem a necessidade de deslocação, podem se comunicar com colegas em grupos de trabalho virtuais, etc.

No centro dessas questões se encontram os periódicos eletrônicos. O periódico tem sido um instrumento de divulgação científica desde o século VII, criado com o objetivo de complementar o livro como uma opção mais rápida. Ele possibilita a divulgação regular, especializada e qualificada, através de revisão de pares, do conhecimento produzido nos meios universitários. A partir dos anos 90, ele foi fortemente impactado pela popularização da internet, que possibilita a realização de seu tradicional papel de formas ainda mais fáceis e velozes.

Periódicos impressos ainda estão presentes e provavelmente permanecerão por um bom tempo, mas todo o processo de envio, seleção, revisão e editoração dos artigos é feito digitalmente, e a maioria oferece versões on-line. Ao mesmo tempo, periódicos científicos exclusivamente eletrônicos surgem todos os anos em todo o mundo em maior quantidade. O Open Journal Systems (OJS), software muito utilizada para a administração de revistas eletrônicas, tem em seu site uma tabela com o número de periódicos em todo o mundo o utilizando a cada ano:

Denis 2.jpg

Em menor escala, o mesmo crescimento pode ser verificado no Portal de Periódicos Eletrônicos Científicos (PPEC) da UNICAMP, onde estagiei:

denis-3Como se vê, o crescimento é constante e nada indica desaceleração. Desta forma, creio que a experiência de estágio no PPEC foi bastante positiva. Na prática, em primeiro lugar, foi um excelente aprendizado de ferramentas cada vez mais presentes no ambiente acadêmico, como o próprio OJS, o DOI, identificador persistente de documentos na internet, e o ORCID, identificador persistente de autores. Bem como oferecendo oportunidade de refletir sobre as questões teóricas levantadas pelo curso e discutidos em aula. Periódicos eletrônicos possibilitam o acesso fácil e gratuito a produção acadêmica, de acordo com os princípios da unidade, assumindo um papel central na divulgação e preservação da produção acadêmica atualmente, em completo alinhamento com as tendências do novo século.

Parte das funções de um professor/pesquisador de qualquer área do ensino superior atualmente envolve atuar como um editor. Seja administrando um periódico de seu grupo de estudos, como parecerista ou membro do conselho editorial de algum outro de sua área de atuação e isso exige lidar com essas ferramentas. Acredito que, para um historiador ou para qualquer outro acadêmico, aprender a ter desenvoltura neste meio não é mais uma opção.

Denis Rodrigues, aluno do quinto ano do curso de História do IFCH-UNICAMP

REFERÊNCIAS

BÉGAULT, Béatrice. O periódico científico, um papel para a mediação de informação entre pesquisadores: qual seu futuro no ambiente digital?. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde, [S.l.], v. 3, n. 3, sep. 2009. ISSN 1981-6278. Disponível em: <http://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/796&gt;. Acesso em: 08 dec. 2016.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? São Paulo: Editora 34, 1999. Introdução, 11-15; Cap. 1: O que é a virtualização, 15-25.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s